Estudos e produtos derivados das pesquisas

A construção de um mundo “desencantado” - paisagem, memória e subjetividade na transmissão cotidiana dos ofícios, saberes e conhecimentos tradicionais na Região dos Lagos – RJ.

A pesquisa social que vem sendo realizada na cidade de Arraial do Cabo, e, nas outras cidades da Região dos Lagos, propõe uma reflexão sobre paisagem, apego ao lugar, experiência, vivência, tradição, oralidade, memória e subjetividade na transmissão cotidiana dos ofícios, saberes e conhecimentos tradicionais entre Mestres Sabedores da Cultura Popular (pescadores artesanais, carpinteiros navais, maricultores-quilombolas e trabalhadores das salinas).

Os Mestres Sabedores são como “tesouros humanos vivos” que possuem conhecimentos, habilidades, artes, práticas, ofícios, maestrias e capacidade de transmitir, através da oralidade e do saber-fazer, as experiências e vivências para os novos aprendizes. A dificuldade em encontrar substitutos para os Mestres Sabedores deve-se à falta de visibilidade, apoio e vontade política em propiciar as condições financeiras e de estímulos para a valorização e salvaguarda do patrimônio material e imaterial.

Etnobotânica de espécies arbóreas usadas na construção de Canoas artesanais no litoral sudeste e sul brasileiro (Edital Universal/CNPq 2014).

O presente estudo vem sendo pesquisado pela equipe de pesquisadores em etnobotânica e anatomia da madeira do JBRJ – Instituto de Pesquisa do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e pela UFCS – Universidade Federal de Santa Catarina. No Rio de Janeiro está sendo coordenado pelas etnobotânicas Viviane Kruel (JBRJ) e Neusa Tamaio (JBRJ) e com a participação do sociólogo Paulo Sérgio Barreto para o registro em história oral e de vida. Em Santa Catarina, cabe a coordenação a Natalia Hanazaki (UFSC) e dos pesquisadores em etnobotânica Ana Claudia Rodrigues (UFSC) e de Nivaldo Peroni (UFSC).  

Em particular, no Rio de Janeiro, essa pesquisa objetiva colaborar para o registro e a valorização do conhecimento local relacionado às canoas usadas na pesca artesanal no sul e sudeste brasileiro. Além disso, visa auxiliar no registro das formas tradicionais de uso, construção e significado das canoas para os pescadores artesanais de Arraial do Cabo (RJ), reforçando sua identidade social, preservação do patrimônio material e imaterial associado à pesca e contribuindo para a reprodução do conhecimento sobre a natureza para as gerações futuras. Outrossim, tem como objetivo registrar o saber tradicional relacionado às madeiras úteis, do passado e do presente, associadas à construção e/ou reparo das canoas usadas na pesca artesanal de Arraial do Cabo, identificando as respectivas madeiras.

Registro de fotos

Memoria Oral