Totonho

 PESCADOR TOTONHO (CONTADOR DE CAUSOS)

 

Antônio Barreto Martins (apelido, Totonho) é pescador local oriundo de uma família antiga de mestres da folia de “Reis-de-boi” da cidade. No seu paiol oferta-se serviços de “contação de causos” sobre a pesca tradicional com apresentação dos passos, ritmos e cantos de “Reis-de-boi”. Ele é filiado ao grupo folclórico “Folia de Reis-de-boi Manuel Pesado” da cidade de Arraial do Cabo. Além das músicas do seu ídolo Elvis Presley.

Pela tradição, saem no dia de Reis (06 de Janeiro), de casa em casa, catando e dançando num cortejo com o boi à frente. Os donos da casa, antigamente, já esperam a folia com a casa arrumada e comida posta à mesa. A folia pede licença ao dono da casa, com as “Catirinas” (mulheres e homens) adentrando e cantando. A rigor, os personagens entram em fila dupla na casa brincando, cantando e dançando o “Reis-de-boi” além da “Chula” e do “Fado”. Essas danças, assim, como, a “Contradança” e a “Pastorinha” têm origem portuguesa e são autos da manifestação popular enraizada na Região dos Lagos que veem sendo esquecidas e deixadas de lado.

 

“Seu dono da casa, queira dar licença para o meu boi dançar… oh mana… na sua presença”.

 

O paiol do “Totonho” é marcado por uma eventual ocupação “residencial” e como local para a “guarda” e/ou “coleção” de petrechos de pesca. Em meados dos anos 80 fora incendiado, em parte, juntamente, com a canoa pequena denominada “Vagoneta” (canoa de 07 metros de comprimento, com 02 remos). Posteriormente fora reconstruído e ampliado em alvenaria, por amigos. Este é o único paiol em que o proprietário não possui canoa, mas participa das pescarias das demais “Companhas”.

Neste espaço as marcas simbólicas, afetivas e subjetivas do proprietário explicitam uma nítida preocupação em ambientar o paiol com motivos focados num ídolo musical dos anos 50 (Elvis Presley), com todo o contexto de época. Toda organização do paiol é caótica à primeira vista. Partes significativas dos objetos, “quinquilharias” e petrechos de pesca estão dependuradas e suspensas entre cordas e cabos existentes no teto e/ou nas laterais das paredes com a função de proteção, resguardo e “coleção”.

O paiol do “Totonho” é denso de memória e sentidos que estimulam a “contação de causos” e o uso do violão para cantar as músicas do ídolo do rock e as cantigas da folia de “Reis-de-boi”.

Atende o público aos sábados, no horário comercial. Agendamento no local. Localiza-se no Paiol do Totonho, na Praia do Pontal.

Contato: mestresabedores@gmail.com